TELE-AULA, UMA NOVA FORMA DE ESTAR NA ESCOLA
 
 

Maria Eulália Ribeiro Cordeiro

Filomena Maria Cravo

CANTIC Escola Secundária de Sacavém

e-mail: cantic@ mail.telepac.pt

Fax: 351 1 942 20 87


 
 



Nesta comunicação é apresentado um estudo de aplicação de um sistema de videotelefonia em alunos portadores de doença crónica severa e que, devido ao seu estado clínico, estão impossibilitados de ter uma escolaridade regular e beneficiar de um ensino presencial.

Por um lado pretende-se estudar a viabilização deste tipo de tecnologias para ensino e apoio à distância em tempo real. Além disso, procura-se analisar o impacto que esta experiência provoca na comunidade escolar, nomeadamente ao nível das atitudes dos professores e alunos directamente envolvidos na experiência face à utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação em situação de sala de aula.

Toda a legislação vigente que regula o nosso sistema educativo português legitima a inclusão de alunos com necessidades especiais nas escolas de ensino regular. Apesar desta realidade e dos princípios universalmente aceites, que defendem a igualdade de integração da pessoa com deficiência na escola e na comunidade a que pertence, esta população, nomeadamente a portadora de deficiências ou doenças crónicas severas, continua a enfrentar dificuldades para encontrar respostas específicas e adequadas a este nível.

As razões que motivam esta situação são de vária ordem. No entanto, há nelas uma constante que se prende com o distanciamento das escolas relativamente a uma verdadeira integração/utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação já disponíveis e às potencialidades de respostas educativas que elas oferecem a esta população, quando usadas como recurso pedagógico.

Neste quadro, o presente projecto visa possibilitar a concretização de uma nova forma de estar na escola. Pretende-se, por um lado, estudar a possibilidade de alunos com deficiências ou doenças crónicas severas, impossibilitados de deslocarem à escola, poderem prosseguir os seus estudos, acompanhando as aulas através de um sistema de videotelefonia e, por outro lado, estudar o impacto da utilização/exploração pedagógica destas tecnologias no contexto escolar.

O aluno envolvido na experiência é um jovem do sexo masculino, portador de uma doença genética fibrose quística que, devido às sequelas que esta doença crónica grave acarreta, está impossibilitado de frequentar com assiduidade um ensino presencial regular. Este jovem encontra-se no 10º ano e, no presente ano lectivo, frequenta as disciplinas de Introdução à Filosofia, Inglês, Técnicas Laboratoriais de Biologia e Introdução à Informática.

Neste contexto, foi instalado na sala de aula e no local onde o aluno se encontra retido, um sistema comunicação de via dupla que, partindo de um simples PC e usando como veículo uma linha RDIS, permite estabelecer através de Hardware e Software adequados, o contacto entre a sala de aula e a casa do aluno e vice-versa. O jovem pode, assim, seguir a aula, trocar impressões com o professor ou com os colegas, receber ou enviar ficheiros, ou mesmo realizar um trabalho de grupo com alguns dos colegas da turma, já que o sistema lhe permite interagir à distância e em tempo real com a dinâmica das actividades desenvolvidas na sala de aula.

Este projecto pretende, para além, de potencializar as TCI enquanto meio facilitador da inclusão dos alunos com severas necessidades educativas especiais, conhecer o impacto que este tipo de recurso tem ao nível da Escola, quando utilizado neste contexto específico. Assim, o objecto de estudo considera não só as vertentes mais directamente ligadas ao aluno em causa, mas tem ainda em conta aspectos relacionados como o vector tecnológico, o vector turma, o vector comunidade escolar e o vector económico (relação custo/resposta).

A experiência que se encontra a decorrer está a ser acompanhada pela aplicação de instrumentos de controle e de avaliação e julga-se que poderá permitir um estudo que contribua para divulgar soluções que apoiem efectivamente os alunos que podem encontrar nas tecnologias as respostas educativas específicas de que necessitam.
 
 

Estudo realizado no âmbito do Projecto Nónio Séc. XXI, do Ministério da Educação (apoio do Projecto Aladim da Portugal Telecom)