ConVer: a Conjugação Verbal pela WWW

Emiliano Gomes Padilha
Marco Antônio Alba Winckler
Rosa Maria Viccari
[emiliano,winckler,rosa]@inf.ufrgs.br


Resumo

Este artigo apresenta o ConVer, um programa que gera a conjugação verbal da língua portuguesa na WWW. Através das páginas de entrada, pode-se consultar a conjugação de múltiplos verbos simultaneamente, com restrição de tempos e pessoas, e presença dos pronomes oblíquos (as chamadas ênclise e próclise). É feita uma descrição da interface para a WWW, com algumas páginas de entrada e de resultados. A seguir, rápida descrição de como o programa, originalmente um analisador-gerador morfológico, liga-se a este ambiente e que modificações trouxe com relação à metodologia adotada antes. São examinados, na seqüência, vantagens e efeitos do recurso de seleção de tempos-pessoas e, brevemente, um tutorial sobre a conjugação, incluído junto. Por fim, a conclusão apresenta alguns resultados obtidos, aplicações educacionais em potencial e possibilidades futuras.

Abstract

This paper presents ConVer, a program that generates the inflections of the Portuguese verbs on the WWW. This procedure is known as verb "conjugation". Through the web pages, one can consult the conjugation of multiple verbs simultaneously, with tense and person restriction, and inclusion of personal objective pronouns (in what is called ênclise and próclise). A description of the WWW interface is made, with some forms and result pages being showed. After this, short explanation of how the program, originally a morphological parser-generator, links to the web and which modifications this have brought with respect to the methodology adopted formerly. Vantages and effects of the tense-person selection resource are examined, in turn, and, briefly, a tutorial about the Portuguese conjugation, included together. Finally, the conclusion presents some obtained results, educational applications in potential, and future possibilities.
 
 

1. Introdução

ConVer é um programa desenvolvido em linguagem Prolog para reconhecer e gerar as várias flexões verbais da língua portuguesa. A partir de uma curta especificação léxica (o infinitivo de cada verbo), ele pode gerar e ao mesmo tempo reconhecer todas as flexões verbais, nos diversos tempos, modos e pessoas do português. O programa foi criado originalmente para funcionar como parte do dicionário de palavras em aplicações de língua natural [5]. Outra aplicação logo então percebida foi a de apresentar a conjugação verbal da forma como é ensinada na escola: tempos verbais dispostos separadamente, indentados e com os respectivos pronomes pessoais. Antes de tudo, seria um experimento da viabilidade de converter este tipo de aplicação (gerador morfológico) a uma função educacional. E também, um recurso útil para auxiliar o ensino do português, seja na escola, seja para estrangeiros, ou como fonte de consulta a qualquer pessoa.

O advento da World Wide Web (WWW) transformou a internet, efetivamente, num meio de troca de informações mais acessível aos usuários de computadores, por torná-la mais fácil e amigável. Ela disponibiliza informações, textos, imagens e sons de maneira transparente e integrada. Em particular, programas que recebem dados de entrada, efetuam processamento e devolvem resultados podem igualmente utilizar a rede como meio (e interface), sem que o usuário sequer precise saber que há um programa sendo executado do outro lado. Qualquer pessoa com acesso pode tanto visualizar páginas de informação quanto executar processamentos mais complexos através de tais programas, que estejam distribuídos pela WWW [10]. Isto a torna uma rede não apenas de difusão de informações, mas também de interação com outros tipos de recursos, e portanto com aplicação em várias áreas incluindo a educação [9].

Em vista disso, foi desenvolvida uma interface para o ConVer na WWW. Esta interface disponibiliza a geração da conjugação verbal, além de páginas informativas (tutoriais), à toda rede. As páginas resultantes da conjugação dos verbos solicitados não existem "prontas"; elas são geradas pelo programa que as repassa à WWW para serem vistas pelo solicitante. Da mesma forma, ConVer não guarda todas as flexões de todos os verbos; ele possui as regras de formação e o conhecimento sobre como formá-las, incluindo dados sobre verbos irregulares e outras irregularidades de conjugação.

O resto deste texto procura descrever brevemente a interface do programa na WWW, comentar o efeito de alguns recursos, discutir aplicações educacionais em potencial e possibilidades futuras.
 
 

FIGURA 1: Página inicial: introdução e tutoriais.





2. Interface na WWW

A figura 1 apresenta a página inicial de ConVer, que contém, além de atalhos para páginas em inglês e espanhol, uma introdução ao programa e entradas para textos tutoriais importantes. O primeiro (entitulado "Definição dos verbos em ConVer") descreve como são armazenadas as informações que o programa usa para conjugar corretamente todos os verbos da língua. Mais importante, ele apresenta a hierarquia de regularidade da conjugação verbal portuguesa: as regras que ajudam a formar as flexões verbais, verbos muito irregulares e os diversos graus de irregularidades existentes [1].

Outro texto ("Como definir páginas de acesso a ConVer") indica o que fazer para utilizar os recursos do programa por terceiros (em seus próprios hiperdocumentos). Um dos recursos é o link para a conjugação de um verbo: trata-se de uma ligação normal de hiperdocumento que, ao invés de levar a outra página, leva à conjugação de um ou mais verbos (exemplo: "....o verbo amar....", em que a ligação na palavra amar leva à conjugação deste verbo). Tal recurso poderia ser usado em hipertextos que venham a descrever a gramática da língua, ou ensinar português para estrangeiros, etc. (e é usado extensivamente no primeiro tutorial).
 
 

FIGURA 2: Formulário de entrada de dados: primeiro exemplo.





A figura 2 mostra o formulário normal de entrada para conjugação, com alguns verbos já digitados no primeiro campo. Basta apenas informar quais verbos devem ser conjugados: pode-se fornecer mais de um, sempre no infinitivo. Todos os outros campos são opcionais e já estão com os valores mais comuns. Eles dão a possibilidade de conjugação com pronomes oblíquos e a seleção de quais tempos, pessoas e formas nominais devem ser gerados.

A figura 3 mostra parte da conjugação dos verbos dados na figura 2. Letras em negrito nas formas verbais indicam irregularidades da conjugação: pontos em que a flexão do verbo é diferente da de um verbo regular. Para os falantes da língua, isto pode não ter importância, mas para pessoas que a estão aprendendo, especialmente provindos de outras línguas latinas (nas quais a conjugação verbal é semelhante), tal recurso deve ser extremamente útil. Após examinar as flexões, pode-se voltar e fornecer novos verbos e outras opções.
 
 

FIGURA 3: Resultado (parcial) da entrada da figura 2.





As figuras 4 e 5 dão outro exemplo de conjugação, desta vez com pronomes oblíquos em ênclise (após o verbo, separados por hífen). A figura 5 mostra parte da conjugação nos tempos do futuro, a chamada mesóclise. A conjugação pode ser feita com quaisquer dos pronomes oblíquos átonos (os que vêm junto ao verbo) mais uma opção especial: a voz reflexiva, que é o exemplo das figuras 4 e 5.

A figura 6 apresenta um outro tipo de formulário de entrada do programa, com a seleção de tempos e formas nominais de maneira mais flexível. A figura 7, por fim, mostra os resultados parciais da entrada naquela figura, um exemplo com verbos muito irregulares.

3. A Ligação WWW-ConVer

ConVer é um programa em linguagem Prolog, e como tal não é acessável diretamente da WWW. A ligação vale-se do padrão CGI (Common Gateway Interface), que é a forma de comunicação da WWW a aplicações convencionais [11]. Aqui, ela executa um programa intermediário que captura os dados fornecidos no formulário de entrada, traduz e repassa para o programa Prolog. Este gera a conjugação verbal como é vista pelo usuário, indentada e com negrito, a qual é enviada de volta para o browser da WWW, que se encarrega de mostrar na tela do usuário. Não é utilizado Java, somente HTML [3].
 

4. Metodologia da Conjugação na WWW

ConVer foi criado, originalmente, para ser um dicionário de verbos, uma classe de palavras flexionada. Como tal, era guardado para cada verbo somente a chamada definição léxica: o radical, a parte invariável do verbo, que o identifica, o grupo de conjugação verbal (primeira, segunda ou terceira) e informação sobre possíveis irregularidades. Tudo isso era definido numa entrada de dicionário, para cada verbo [5]. Aqueles que não tivessem definição léxica, em vista disto, não poderiam ser conjugados. Isto se justificava na medida em que, além de produzir as flexões verbais, era preciso reconhecer apenas verbos válidos, existentes na língua.

No caso da aplicação atual, não seria necessário tal capacidade de reconhecer, apenas produzir as formas verbais. Por isso, um procedimento ligeiramente diferente foi utilizado. O programa guarda definição léxica somente dos verbos com alguma irregularidade, que são um conjunto limitado e relativamente pequeno. Todos os outros (que devem corresponder, possivelmente, a mais de 95% do total [1]) são verbos regulares e, como tais, conjugados de maneira regular. Assim, a versão na WWW conjuga qualquer verbo não identificado como um dos "irregulares", como sendo regular mesmo que não exista realmente. Isto seria útil uma vez que, mesmo alguém sem qualquer conhecimento prévio do assunto, pode entrar com "xar xer xir" (por exemplo) e assim ver e comparar facilmente as flexões verbais formadas.
 
 

FIGURA 5: Resultado (parcial) da entrada da figura 4.





5. Seleção de Tempos e Pessoas

A possibilidade de restrição dos tempos e pessoas a conjugar pode parecer à princípio inútil para os falantes da língua, mas é importante em outros casos. Por exemplo, no auxílio ao ensino primário e de pessoas aprendendo português.

Essa seleção pode auxiliar o professor do ensino primário por disponibilizar um recurso de consulta interativo e direcionado [2,6]. Interativo porque os alunos podem utilizá-lo para estudo fora do contexto de aula (na escola, em casa) e podem consultar por conta própria. Direcionado porque o professor pode elaborar suas próprias páginas, utilizando os recursos do programa de forma a selecionar apenas os modos e tempos que tenham sido apresentados por ele na sala de aula.
 
 

FIGURA 6: Outro exemplo de formulário de entrada.





As vantagens da utilização de recursos computacionais como este, dinâmicos e interativos, são evidentes com relação ao material tradicional de ensino, o livro e o áudio-visual. Além de possibilitar a visualização de qualquer verbo (no caso atual) e não somente àqueles contidos no livro, o ensino pode ser melhor direcionado pelo professor. De fato, essas são vantagens do meio computacional, que utiliza o hipertexto, dinâmico, sobre o meio físico, estático. Vale salientar que o uso de recursos educacionais como este, diferentes daqueles que os alunos estão habituados em sala de aula, é geralmente motivo real de estímulo para a aprendizagem, já demonstrado com o ConVer [12].

Por sua vez, a restrição de tempos e formas, no apoio ao ensino de não-falantes é vantajoso por causa da grande riqueza (complexidade?) do sistema verbal português. A variedade de flexões deve ser no mínimo desconcertante, à primeira vista. São ao todo 12 tempos para 6 pessoas verbais, mais as formas nominais, totalizando 78 flexões. Contudo, existem na realidade pouco mais de 50 flexões distintas, e destas ainda pode-se descontar as formas de segunda pessoa do plural (vós), arcaicas. O estudante pode formar seu modelo mental [7] da conjugação mais facilmente se puder examiná-la de forma seletiva, gradualmente, mesmo porque este tipo de auxílio educacional contribui apenas para consolidar, esquematizar um conhecimento adquirido com a prática, e não substitui o professor, no ensino, por exemplo, de gramática e semântica [6,7].
 
 

FIGURA 7: Resultado (parcial) da entrada da figura 6.





6. Tutorial sobre Visão Geral e Definição

A figura 8 apresenta o índice inicial do hipertexto que abrange a estrutura da conjugação verbal e a definição dos verbos em ConVer. Este é um tutorial de referência, descrevendo e formalizando os graus de irregularidades presentes na conjugação da língua portuguesa. Todas as menções a verbos, nesse texto, são links para sua conjugação. Breve descrição das seções mostradas na figura é dada abaixo:

7. Conclusão

Este texto apresentou ConVer, um programa que gera a conjugação verbal da língua portuguesa através da WWW. Ele pode auxiliar o ensino ou servir de base de consulta. Ele gera a conjugação de todos os verbos e a apresenta formatada na tela. Pode ser usado por qualquer pessoa que precise, eventualmente, consultar a conjugação de algum verbo, por estrangeiros aprendendo a língua, por alunos e professores em casa ou na sala de aula. O professor, inclusive, pode criar novas páginas (novas interfaces) que acessem os recursos do programa da maneira que ele achar mais adequada ao aprendizado, para dispor aos seus alunos.

Este programa é o resultado de uma experiência testando a viabilidade da WWW para o ensino à distância [4], e mais especificamente, a utilidade de uma aplicação lingüística como ConVer no auxílio ao ensino. Como experimentação, foi utilizado por alunos primários para testar sua adaptação às interfaces propostas, a influência exercida sobre eles e quais vantagens poderia trazer para o processo de ensino-aprendizagem real [2]. Tal experiência é descrita brevemente em [12].

Foi demonstrado que tais recursos educacionais são úteis, desde que inseridos num contexto de aula e num programa pedagógico de ensino [2,7], mas não substituem o professor de maneira alguma. São fator de estímulo para o aluno, recursos práticos para o professor ou como fonte de consulta, mas limitados pelo fato de serem repetitivos em suas possibilidades, logo exploradas e satisfeitas pelos alunos. Além do mais, há limitações de interatividade, impostas pela WWW, que os fazem perder o interesse rapidamente, após explorados todos os recursos. Sem mencionar o fato de que textos muito longos, mesmo interligados e esquematizados como os tutoriais presentes em ConVer (figura 8), acabam despertando pouco interesse [12].
 
 

FIGURA 8: Índice do tutorial sobre Visão Geral e Definição.





Não obstante, existem algumas possibilidades de extensão deste trabalho no futuro. Uma delas seria a inclusão de páginas com jogos, recursos de som e gráficos (no caso, como forma de associar significado aos verbos), o que daria melhor uso às potencialidades do hipertexto [10]. Isto leva a uma aplicação futura em potencial para o programa: fazer parte de dicionários on-line, compostos por todas classes de palavras, não somente verbos, interligando palavras associadas e derivadas, e contendo as informações que hoje existem nos dicionários tradicionais. E isto nos traz uma outra possibilidade: dicionários multi-língües, com a geração da conjugação verbal de diferentes línguas, em especial latinas (como o espanhol) o que permitiria mostrá-las lado-a-lado.

Referências

[1] Lima, Rocha. Gramática Normativa da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 17ª edição, 1974.

[2] Maenza, R. R. Hipertexto como ferramenta de apoio no processo de Ensino-Aprendizagem. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: Instituto de Informática UFRGS, 1994. 199p.

[3] NCSA - A Beginner’s Guide to HTML. Disponível na seguinte URL: http://www.ncsa.uiuc.edu/General/Internet/WWW/HTMLPrimerAll.html.

[4] Nemetz, F.; Winckler, M. A. A.; de Lima, J. V. Evaluating Evaluation Methods for Hypermedia Applications. ‘Short Paper’ publicado na seção Poster do ED-MEDIA & ED-TELECOM 97.

[5] Padilha, Emiliano G. Conjugação e Composição Verbal da Língua Portuguesa. Trabalho de Diplomação. Porto Alegre: Instituto de Informática, UFRGS, 1993. 122p.

[6] Papert, S. A máquina das crianças – repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

[7] Piaget, J. et alli. Educar para o Futuro. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1974.

[8] Proceedings of the 8th International PEG Conference, PEG97, 1997, 30-1º de Junho, Sozopol, Bulgária.

[9] Proceedings of the World Conference on Educational Multimedia and Hypermedia, AACE, 1997 , 13-19 de Junho, Calgary, Canadá.

[10] Rice et al. Using the Web instead of a Windows System. ACM CHI’96, Vancouver, Canadá, 1996.

[11] Rowe, J. Webmaster’s building Database with CGI. 1996.

[12] Winckler, M. A. A.; Padilha, E. G.; de Lima, J. V. Experiência do Uso de uma Ferramenta WWW para Ensino Interativo da Língua Portuguesa [Resumo a ser publicado nos Anais do SBIE’97 - Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. 1997, 18-22 de Novembro, São José dos Campos, Brasil.]