EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA: UMA POLÍTICA PÚBLICA EM INFORMÁTICA EDUCATIVA PARA A REDE PÚBLICA ESCOLAR DO MUNICÍPIO DE MACEIÓ - AL

Luís Paulo Leopoldo Mercado
Cléa Carneiro Palmeira Rêgo
Fabrício Barbosa Maciel
Universidade Federal de Alagoas - Centro de Educação
Maceió - Alagoas - Brasil


No município de Maceió - AL, iniciou-se em 1993 a Gestão Democrática "EDUCAR PARA A CIDADANIA: Por uma Educação Municipal Pública, Gratuita, Democrática e de Qualidade para Todos". Voltada a "definição de diretrizes para atender à escassez de vagas, priorizando a educação básica e fundamental, acesso e permanência na escola, combate ao analfabetismo, melhoria da qualidade e produtividade do ensino" (SMEC, 1993, p.9).

A proposta das pesquisas iniciadas por pesquisadores do Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas é trabalhar questões iniciadas pela Gestão atual e trazer contribuições nas áreas de Educação de Jovens e Adultos, Gestão Democrática da Educação, Políticas Públicas, Currículo-Ensino e Informática Educativa.

A Secretaria Municipal de Educação de Maceió não possui nenhuma política para implantação da Informática Educativa e, de acordo com a proposta da gestão atual, é necessário discutir e propor caminhos para se utilizar a Informática Educativa visando a Educação para a Cidadania.

Um dos objetivos da Gestão Democrática é a formação para o exercício da cidadania. Uma cidadania ativa, crítica e responsável. Isto supõe pessoas que verdadeiramente sejam sujeito de sua história pessoal e social. Com uma de identidade claramente assumida, capazes de fazer opções conscientes em termos éticos e de sentido da vida humana. Com uma visão de realidade sócio-econômica e cultural em que viveu explicitamente trabalhada, com um compromisso ativo com a humanização da sociedade.

Socialização do conhecimento e formação para a cidadania são objetivos básicos da Educação no momento histórico do nosso país. Toda inovação educativa tem de perguntar-se sobre como situar sua contribuição neste horizonte de uma educação comprometida com a construção de um conhecimento e a formação de cidadãos capazes de contribuirem para a transformação social e a afirmação da democracia e da justiça social na sociedade brasileira.

A realização do presente estudo visou discutir uma Política Pública em Informática Educativa para a Rede Pública Escolar do Município de Maceió-AL e os fundamentos psicopedagógicos que norteiam estas políticas e a práxis curricular da Informática Educativa no contexto da Educação brasileira e alagoana.

Dentro de um projeto político que tem o exercício pleno da cidadania como meta, o enfrentamento do analfabetismo e dos baixos níveis de educação formal de amplas massas da população precisa ser assumido com decisão.

Quanto à produtividade do ensino, que é uma das dimensões fundamentais da qualidade e, consequentemente, da democratização da educação, temos uma rede escolar caracterizada como improdutiva considerando a relação matrícula inicial/matrícula final/evasão. Os índíces de repetência, quando confrontados com os de matrícula tornam clara a incapacidade que vem tendo a Rede de ministrar com sucesso Educação para todos.

A Administração atual iniciou sua gestão com este quadro e trouxe como meta política a construção de uma educação democrática e de qualidade para a maioria da população, capaz de contribuir significativamente para a construção da cidadania.

O objetivo que norteou este estudo foi: "Construir uma Política Pública em Informática Educativa para trabalhar a Educação para a Cidadania na Rede Pública Escolar do Município de Maceió - AL".

Este estudo se realizou junto a Secretaria Municipal de Educação do Município de Maceió. Os dados foram coletados junto aos dirigentes da Secretaria, responsáveis pelas políticas públicas na área de Educação e dirigentes e professores da Escola Municipal de Rui Palmeira, onde se está trabalhando com Informática Educativa. Teve como objetivos: analisar e discutir o contexto atual da Informática Educativa no Estado de Alagoas e Município de Maceió; discutir os fundamentos psicopedagógicos da Informática Educativa relacionando-os com o processo ensino-aprendizagem, currículo escolar e políticas públicas; analisar e discutir as políticas públicas implementadas no país e propor subsídios que embasem uma Política de Informática Educativa que trabalhe a questão Educação para a Cidadania.

Este estudo iniciou com a discussão da relação Educação e Informática e a relação com uma Política Pública voltada a Educação para a Cidadania. Utilizou-se a abordagem qualitativa, através de entrevistas e análise documental, por serem a que melhor atendeu as necessidades do objetivo desse estudo, que é subsidiar uma Política Pública em Informática Educativa para a Rede Escolar do Município de Maceió-AL.

Neste estudo é feita a análise dos documentos dos órgãos ligados à políticas públicas e Informática Educativa, buscando-se uma unidade de visão e prática que relacione as complexas e contraditórias dimensões econômicas, políticas e psicológicas que envolvem o fenômeno educativo e a Informática Educativa. Foram analisadas propostas de Políticas de Informática Educativa já implantadas no país e experiências municipais já em andamento.

Os dados coletados nas entrevistas, questionários e nos documentos estudados foram analisados recorrendo-se à metodologia de análise de conteúdos, que segundo LUDKE (1986) é um procedimento de pesquisa destinado a fazer inferências válidas e reaplicáveis dos dados para o seu contexto, ou ainda um método de investigação do conteúdo simbólico das mensagens, as quais poderiam ser abordadas sob diferentes formas e ângulos: palavras, sentenças, parágrafos, ou até o texto como um todo, poderiam ser analisados de acordo com uma estrutura lógica de expressões e evoluções ou até como uma análise temática.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÀFICAS

ALMEIDA, Fernando José de. Educação e informática: os computadores na escola. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1987.

CANDAU, Vera M. Informática na Educação: um desafio. Rio de Janeiro : Tecnologia Educacional, 20(98-99):14-23, jan/abr, 1991.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: A pedagogia crítico social dos conteúdos. São Paulo : Loyola, 1989.

LUDKE, Menga & ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU, 1986.

MERCADO, Luís Paulo Leopoldo. Metodologia do Ensino de Informática: uma proposta para o nível superior. Santa Maria, setembro 1993. Diss.Mestrado.

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ/SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Educar para a Cidadania: por uma educação municipal pública, gratuíta, democrática e de qualidade para todos. Maceió, 1993.