Uma Experiência com Hipertexto no Ensino de Inglês
 

Antonio José de Barros Neto, Fernando da Fonseca de Sousa {ajbn,fdfd@di.ufpe.br}.Pós-Graduação em Ciência da Computação, Universidade Federal de Pernambuco
Jorge Tarcísio da Rocha Falcão
Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco
Paulo Gileno Cysneiros {cysne@npd.ufpe.br}
Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco


INTRODUÇÃO

A tecnologia de hipertexto vem sendo muito utilizada em vários níveis do âmbito educacional [e.g. BARBIERI et al 93; MARCHIONINI & CRANE 94]. Essa utilização tem apresentado resultados interessantes para alunos e professores. Os alunos podem acessar uma grande quantidade de informações e criarem seus próprios materiais, possibilitando maior domínio do conteúdo do curso, maior envolvimento nas atividades propostas e uso mais eficiente de livros e artigos. Para os professores, a preparação de material no hipertexto é uma oportunidade de repensar a maneira na qual os conteúdos com os quais tem trabalhado estão inter-relacionados.

ACQUA E O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA

Um dos objetivos desse estudo foi verificar aplicações do Acqua [MEIRA et aluno.92], um sistema de hipertexto de propósito geral para ambiente Windows, no ensino de língua inglesa em uma escola particular especializada (ABA Recife).

O estudo foi dividido em cinco etapas:

1. A etapa de familiarização da professora com o Acqua teve a duração de 10 sessões de trabalho (aprox. 2 meses, média de 77 minutos por sessão). Durante essa etapa a professora recebeu noções básicas de Windows, navegou em dois hiperdocumentos exemplos já existentes no Acqua e criou um pequeno hiperdocumento baseado em um texto existente no livro utilizado pelos seus alunos.

2. A etapa de levantamento das dificuldades usuais referidas pela professora na sua prática, foi realizada em uma sessão de trabalho com duração de 105 minutos; a professora havia sido incentivada, durante a etapa anterior, a pensar nos obstáculos que ela gostaria de tratar com a utilização do Acqua.

3. A etapa de proposição de objetivos de trabalho foi concluída em uma sessão de 75 minutos na qual a professora mostrou um texto em inglês (extraído de um livro dois níveis acima daquele usado pela turma) que serviria de base para criar o hiperdocumento a ser usado com os alunos. O texto trazia números, inseridos no meio da estória, que remetiam o aluno a perguntas incentivando a participação na previsão do que iria acontecer (o texto era sobre um assassinato onde o aluno deveria assumir o papel de detetive). Além disso, para a professora, a associação entre os números, inseridos no texto, e as perguntas, colocadas ao lado do texto, pareceu similar a ação de seguir uma ligação (link) no Acqua.

4. A etapa de implementação do material instrucional no Acqua teve a duração de 3 sessões com uma média de 90 minutos por sessão. Durante essa etapa, a professora confeccionou o hiperdocumento a ser usado pelos alunos baseado no texto mencionado.

5. A experimentação foi realizada com 28 alunos de ambos os sexos (duas turmas de 14 alunos), entre 13 e 16 anos de idade. Os alunos possuiam familiariedade com o Windows, mas sem experiência com sistemas de hipertexto.

O material usado pelos sujeitos na experimentação foi o hiperdocumento criado pela professora. Foram utilizados quatro micros 486 com vídeo colorido. O procedimento adotado foi o mesmo para as duas turmas: em sala de aula, a professora, de uma forma breve, explicou o funcionamento do Acqua; os alunos foram divididos em quatro equipes e tiveram aproximadamente 45 minutos para ler e discutir os questionamentos do texto no computador; no final os alunos tiveram que escolher um personagem como o suspeito do assassinato contado no texto; após a atividade no laboratório, foi realizada uma discussão para verificar a compreensão do texto.

DISCUSSÃO E CONCLUSÃO

Apesar do pouco tempo para utilizar o Acqua, não foram observadas dificuldades para realizar a atividade, certamente devido à familiaridade dos alunos com o ambiente Windows. Para a professora, o uso do Acqua atingiu o objetivo esperado. Além da compreensão do texto, verificada através da discussão em sala de aula, ela destacou a atenção dos alunos na execução da atividade, o interesse de todas as equipes em responder as perguntas contidas no texto e o debate gerado na construção das respostas. A professora verificou que seus alunos tinham condições de usar o Acqua como ferramenta de produção de textos do aluno para o aluno. Essa possibilidade dos alunos (em equipes) produzirem hiperdocumentos foi vista por ela como uma atividade extra classe, pois seria necessário uma maior flexibilidade no currículo da escola, muito preso ao livro texto, ou uma carga horária de aula maior.

São necessários estudos mais aprofundados para investigar: maior utilização do sistema pelos alunos tanto na autoria quanto na navegação; uso do Acqua por duplas de professores; como introduzir o Acqua nas atividades de classe e extra classe; uso de modelos de autoria para hipertexto por professores e alunos.

REFERÊNCIAS

[BARBIERI et al 93] Barbieri, D., Bassi, B., Blasi, G., Eco, U., Marmo, C., Singer, D., MuG, the Multimedia Guide to the History of European Civilization, Proceedings of the Tenth International Conference on Technology and Education, Boston, MIT, 1993.

[MARCHIONINI & CRANE 94] Marchionini, G., Crane, G., Evaluating Hypermedia and Learning: Methods and Results from the Perseus Project, ACM Transactions on Information Systems, 12(1), 1994.

[MEIRA et al. 92] Meira, S. R. L., Tepedino, J. F., Albuquerque, E., Acqua: A General-Purpose Hypertext System for Cooperative Work, Relatório Técnico, Universidade Federal de Pernambuco, Departamento de Informática, Recife-PE, 1992.