Projeto dinossauros-produção de cd room por alunos de educação infantil


Luziângela Cornelsen de Queiroz Telles
Escola Lápis de Cor
Brasil
escola@escolalapisdecor.com.br - lapisdecor@zipmail.com.br
Edenice Cruz
Escola Lápis de Cor
Brasil
escola@escolalapisdecor.com.br - lapisdecor@zipmail.com.br

Resumo

RESUMO: Desenvolvido com a classe de Jardim II (5 anos), entre fevereiro e novembro de 1999, este trabalho iniciou com pesquisas sobre estes fascinantes animais. À medida que os alunos estudavam determinados assuntos eram construídas maquetes para ilustração deste aprendizado. Foram construídas as seguintes maquetes: “A Reprodução” - “O Ambiente em que viviam os Dinossauros” - “A Extinção”. Com intenção de trazer o assunto para uma realidade mais próxima dos alunos, fizemos um passeio ao Vale dos Dinossauros no Parque Beto Carrero World (O maior parque temático da América do Sul). Como desafio foi proposto a “produção” de um CD Room pelos alunos, que fizeram uma “Enciclopédia Eletrônica” sobre os Dinossauros dividida em: Espécies e Curiosidades. Os próprios alunos, a partir de um software de autoria, fizeram os textos, escolheram os assuntos e desenhos, e como se tratava de crianças não alfabetizadas, gravaram suas vozes, reproduzindo os textos criados por elas mesmas.
 

1 - Introdução

O Projeto Dinossauros foi desenvolvido com a classe de Jardim II (5 anos), entre fevereiro e novembro de 1999 e realizado em uma escola particular de educação infantil, que atende a 170 crianças, com idades entre 0 e 06 anos. A Escola está organizada a partir de uma proposta de ensino diferenciada e inovadora e de contato direto com a natureza. Promove atividades externas - como o convívio com pequenos animais. Promove, também, plantio de frutas e verduras, sempre em caráter educacional.

Alimenta constante preocupação no sentido de preparar os seus alunos para a convivência harmoniosa e produtiva com a alta tecnologia de informação do mundo em que vivemos. Desde sua inauguração, em 1996, a escola tem o trabalho com informática bastante presente em seu dia-a-dia. Iniciamos com o trabalho de informática em um pequeno laboratório, com apenas 03 máquinas e um professor específico para estas aulas. Neste mesmo ano percebemos que as aulas poderiam ser mais produtivas se os próprios professores de classe passassem a ministrá-las. Passamos então para um segundo estágio: Capacitação dos professores para esta nova tecnologia que trazia como proposta ser dinamizadora e otimizadora do processo de construção do conhecimento, dentro e fora da sala de aula. Partimos do princípio de que assimilar o novo, está relacionado às modificações da vida pessoal ou profissional das pessoas e que exige mais do que a simples procura da utilização e conhecimento de uma técnica para o uso de novas máquinas. Mais do que dominar técnicas era preciso construir e reconstruir novos padrões de comportamento através da compreensão do sentido da introdução desse equipamento no contexto da escola. Já não bastava saber como fazer, mas, mais do que nunca, importava saber o por que fazer. Com participação efetiva dos professores nesta proposta, no ano de 1998 passamos para um terceiro estágio: Introdução dos computadores na sala de aula, extinguindo assim com o “Laboratório de Informática”, pois neste momento já havíamos assimilado a idéia do computador ser mais uma ferramenta em prol do trabalho pedagógico de sala de aula, sendo assim necessário em vários momentos, e não apenas nas “aulas de informática”. Passamos então a não mais trabalhar exclusivamente com softwares educacionais, mas sim com trabalho de construção – Produção de jornais, cartazes, etc.- Nesta época o trabalho, com os professores com o texto: “O Laboratório de Computador” – Uma má idéia, atualmente santificada- do professor Gavriel Salomon, nos foi bastante útil para ilustrar esta nova proposta. http://www.divertire.com.br/gsalomon1.htm A presença do computador na sala de aula nos levou a perceber uma classe, em especial, onde os alunos demonstravam um interesse ainda maior por esta tecnologia. Tinham extrema facilidade em manusear a máquina e entender o processo de criação a partir dela. Outra característica em comum destes alunos era o interesse demonstrado também sobre Dinossauros. Este interesse demonstrado pelos alunos pelo computador e pelos Dinossauros nos levou a criação do Projeto Dinossauros, que tinha como desafio à produção de um CD Room, uma Enciclopédia Eletrônica, sobre o assunto desenvolvido.

2 - Justificativa

Tivemos por objetivos principais para a realização do Projeto Dinossauros:
 

“...A chegada de um novo milênio inaugura uma época de mudanças e inovações. Dentro de um processo mundial de globalização, inicia-se um período no qual ter poder significa, principalmente, ter domínio de informações – saber acessar, selecionar, aplicar adequadamente as informações necessárias e úteis na construção do saber e, principalmente, chegar a compreensão das vantagens e benefícios dessa massa de informação que chega a cada segundo – passa a ser uma das qualidades do cidadão do novo milênio que se aproxima...” (Os computadores chegaram. E agora Professor?, Ynah de Souza Nascimento, artigo internet, março 1999) Entendemos assim que dominar fatos e aprender técnicas de utilização do novo são atividades importantes desde a pré- escola, mas que junto com isso devemos desenvolver a capacidade de análise e interpretação, pois apenas desta forma é possível explicar o novo, apontar suas vantagens e benefícios, antever problemas, propondo soluções criativas em sua resolução para assim podermos oportunizar a formação de cidadãos autônomos e críticos com capacidade de argumentação sólida em defesa de seus princípios e conhecimentos que os leve, acima de tudo, a serem pessoas felizes. Para Vitor Duarte Teodoro, as novas tecnologias podem originar novos processos de abordar velhas idéias e velhas práticas, ou seja, a introdução das tecnologias da informação na educação pode estar associada à mudança de como se aprende, a mudança de inovação entre quem aprende e quem ensina, a mudança do modo como se reflete sobre a natureza do conhecimento. Partindo deste princípio percebemos que no processo de ensino- aprendizagem as novas tecnologias enriquecem e diversificam a experiência educacional. A diversificação de materiais oportuniza a aprendizagem sob diversos pontos de vistas. A utilização da Informática, no Projeto Dinossauros, nos pareceu ser a forma mais adequada de concretizar este pensamento, onde trouxemos para os alunos uma nova atividade, mais que isso uma nova possibilidade: Produzir um CD Room.
 

3 - Procedimento metodológico

Como primeira tarefa conversamos, com os alunos, sobre os dinossauros, procurando saber quais os conhecimentos já eram adquiridos pelos alunos.

Assistimos ao vídeo: “Dink, as pedras mágicas”, da Hanna Barbera Produções, que mostrava, em desenho animado, uma historinha sobre os dinossauros.

Em seguida fizemos um debate sobre o vídeo que assistimos Partindo da conversa inicial, do debate sobre o vídeo e dos questionamentos levantados pelos alunos, foram mandados para casa alguns temas para pesquisa:
 

Com o resultado da pesquisa, trabalhamos os itens que nela estavam presentes, com a participação efetiva dos alunos. Durante todo o processo de duração do projeto recebemos pesquisas, as quais impressionaram pela qualidade e quantidade. Trabalhamos em cima das pesquisas lendo e observando as características de cada espécie, pois o material era muito rico em ilustrações. Montamos um quadro onde poderia ser visualizado – "O que sabemos", onde foi transcrito tudo que eles sabiam (seus conhecimentos prévios) sobre os Dinossauros,- Em um próximo quadro colocamos "O que queremos saber” -onde foram colocados os temas para pesquisa e, em um último quadro: "O que descobrimos” - sobre o assunto em questão, onde foram expostas todas as pesquisas que os alunos trouxeram de casa. O passo seguinte foi assistir ao vídeo: Jurassik Park (Parque dos Dinossauros), Spelberg, Steven, Universal Estúdios.

Pesquisamos, no material que tínhamos em sala, sobre a reprodução dos dinossauros, e em seguida, fizemos uma maquete reproduzindo algumas espécies, que foram modeladas a partir de massinha para modelar.

Fizemos, também, outra maquete, utilizando papel e cascas de ovos, demonstrando a reprodução dos dinossauros.

A partir de brinquedos (dinossauros) trazidos pelos alunos e fornecidos pela escola, observamos as características e identificamos as espécies pelos seus nomes comparando os brinquedos, com as ilustrações das pesquisas trazidas pelos alunos, e também, com os vídeos que já tínhamos assistido.

Conversamos sobre o planeta na época dos Dinossauros. Durante esta conversa surgiu um novo questionamento: “Como sabemos que os dinossauros existiram, se eles foram extintos e ninguém nunca os viu?” Surgiu aí uma nova parte de nossa pesquisa: “Os Fósseis”. A pergunta foi enviada para casa, para pesquisa.

Recebemos esta segunda pesquisa, com grande entusiasmo dos alunos, que debateram o assunto oralmente, não necessitando de pesquisa escrita.

Iniciamos a confecção de um dinossauro, a partir da técnica de jornal e fita crepe: As partes dos animais são moldadas utilizando-se de jornal. Em seguida cobrem-se estas partes com fita crepe, unindo-as para montar o dinossauro. Para um “acabamento” melhor a peça é pintada com tinta guache.

Assistimos ao vídeo: “Vale Encantado dos Dinossauros”. Desenho animado que nos mostrou os hábitos e o planeta na época dos dinossauros.

Com imitação de fósseis, feitos de papelão, montamos um esqueleto de Brontossauro, medindo aproximadamente 1,50m X 0,80cm.

Para trazer o assunto para uma realidade mais próxima dos alunos, uma vez que o projeto está destinado para crianças de 05 anos, assim dentro do estádio pré-operatório, onde para desenvolver suas potencialidades, o contato com o concreto faz- se indispensável, organizamos uma visita ao Vale dos Dinossauros, em um passeio ao Beto Carrero World, quando os alunos puderam observar um ambiente que reproduzia o mundo dos dinossauros de uma forma muito próxima do real, com bonecos animados de grande porte e com efeitos de som e luzes que encantaram os alunos.

Fizemos uma maquete, com novas miniaturas de brinquedos trazidos pelos alunos e outros fornecidos pela escola, onde reproduzimos o ambiente em que os dinossauros viviam, separando-os em bandos da mesma espécie.

Nesta maquete foi feito um “vulcão”, modelado com argila. Este vulcão reproduzia o processo da erupção das lavas.

Experiência da Erupção das Lavas de um Vulcão MATERIAL:
 

COMO FAZER:
  POR QUE ACONTECE?

Em uma reação química, substâncias misturadas reagem ou se combinam de alguma maneira, formando uma substância nova, diferente das substâncias químicas usadas para produzi-la. Assim, quando o vinagre entra em contato com o fermento (ou bicarbonato de sódio), provoca uma reação química que produz um gás. Esse gás liberado pela reação é gás carbônico, que faz a lava do vulcão subir e espirrar.

Para finalizar reproduzimos em uma maquete, a extinção dos dinossauros utilizando-se de argila, e miniaturas de esqueletos (de brinquedo) de dinossauros.

Todas estas maquetes citadas podem ser visualizadas na home- page: http://www.escolalapisdecor.com.br/page13.html

Em todos os projetos desenvolvidos pela escola é proposto um “desafio” aos alunos, que normalmente, resulta em um produto a ser apresentado ao final do trabalho.

Para o Projeto Dinossauros, o desafio proposto foi à produção de um CD Room sobre os Dinossauros, envolvendo todas as informações que eles haviam obtido até então.

A equipe pedagógica reuniu-se, analisou alguns softwares de autoria e concluiu que, para o trabalho em questão o software que melhor responderia a nossas expectativas, e que era encontrado no mercado, seria um software da Positivo Informática – o Illuminatus - , por ser elaborado dentro de um ambiente de fácil entendimento para nossos alunos, e bastante descomplicado o seu manuseio.

Para iniciar esta nova etapa apresentamos os seguintes CD Rooms aos alunos:
 

  • Magic School Bus: Que apresenta os personagens da série de desenho animado do mesmo nome, em uma visita a um museu de paleontologia. Neste software os alunos montaram um esqueleto e viram algumas espécies de dinossauros sempre brincando com os jogos propostos.
  • My First Encyclopedia: Que apresenta um ambiente de pesquisa, em uma linguagem infantil. A intenção aqui era mostrar aos alunos como poderíamos armazenar nossas informações de modo atraente e interativo.

  •  
     

    Explicamos, então, aos alunos o processo para a criação de um cd room, a partir de um software de autoria, apresentando o software que fora escolhido previamente para este trabalho: o Illuminatus.

    Em um primeiro momento, os alunos foram incentivados para uma livre exploração do material (Cd Illumnatus). Percebemos, mais uma vez, a facilidade destas crianças no manuseio desta tecnologia. Explorando os arquivos do computador, os alunos “descobriram” um arquivo com suas fotos e montaram uma página com suas fotos e uma música.

    Todos os alunos, junto com a orientadora do projeto, e a orientadora da informática educativa, reuniram-se e criaram a 1ª página do cd room, escolhendo os desenhos, sons e o texto a ser apresentado.

    O trabalho foi então, dividido em 02 momentos distintos:

    01. Em classe os alunos escolhiam os temas a serem abordados. Elaboravam os textos e escolhiam quem iria gravá - lo, pois por se tratarem de crianças de 05 anos, estas não eram alfabetizadas.

    02. Estes textos depois eram transcritos para o cd room, pela orientadora de informática, que acompanhava os alunos ao gravarem suas vozes falando sobre o assunto preferido. Os alunos escolhiam os desenhos, a partir de uma seleção prévia, de clip arts que eram copiados para o winchester do computador pela equipe pedagógica. Para finalizar cada tela, os alunos escolhiam sons correspondentes ao texto formulado.

    Todo o processo para a produção do cd, era feito pelos alunos. Busca de arquivos, inserção de sons, desenhos, posição de textos, etc. Apenas eram auxiliados pela orientadora de informática, em suas dúvidas

    Após o término da produção do cd room que agora entitulava-se Projeto Dinossauros, os alunos, elaboraram um projeto gráfico para a capa do cd, com desenhos escolhidos a partir de um cd de clip art.

    A equipe pedagógica encarregou-se de fazer a gravação dos Cds para distribuição aos alunos participantes do projeto. Nas atividades de pesquisa, construção de maquetes, produção do cd room, nas experiências realizadas, conciliamos a observação, com as seguintes propostas de trabalho:

    Linguagem: Linguagem oral e gestual Ampliação do vocabulário Conceitos sobre coisas e fatos Expressão verbal Identificação de palavras no texto Identificação e representação de objetos Estudo dos sons iniciais de palavras com a, e, i, o, u Seqüência lógica Reprodução de história Relato oral Literatura: Interpretação de texto Ilustração de texto Dramatização Análise e pesquisa de figuras e gravuras Nomeação verbal de elementos Representação simbólica Pesquisa em livros Confecção de brinquedos

    Matemática: Quantificação Cores Formas Tamanho Estrutura Topológica: Todo, dentro/fora, interior/exterior, alto/baixo, longo/curto, maior/menor, Mais/menos, perto/longe, cheio/vazio, pequeno/médio/grande, igual/diferente, leve/pesado, grosso/fino, liso/rugoso Classificação e ordenação Estrutura de classe: Relação de pertinência Classificação segundo um atributo Função social do número Simbolização Estrutura do número: Conceito de número: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10 Seqüência numérica Idéia subtrativa Agrupamentos Comparação de quantidades Contagem Formação de conjuntos Descobertas sociocientíficas: O Indivíduo e suas Necessidades básicas: Alimentação Tipos de alimentos O Indivíduo e o Ambiente: Conservação do ambiente Os seres vivos Necessidades dos seres vivos Alimentação dos animais Animais carnívoros e herbívoros Revestimento do corpo dos animais Filhotes O Indivíduo e o Espaço: Representação da Terra Elementos do habitat humano O sol como fonte de luz e calor

    Condutas Psicomotoras: Simbolização Desenho livre Recorte Percepção de tamanho e posição Discriminação visual Pintura livre Coordenação visomotora Amassadura Composição Destreza manual Criação de desenho Percepção Tátil Mobilização segmentária manual-digital

    Para o encerramento do Projeto Dinossauros, os alunos, junto com a equipe pedagógica da escola, organizaram uma exposição na escola, que teve a duração de 02 dias, com todos os passos do projeto, mostraram e explicaram as maquetes que foram construídas, expuseram fotos de todo o processo, apresentaram as espécies mais interessantes, segundo eles próprios, onde contavam as características e curiosidades de cada uma delas, e fizeram o “Lançamento” do CD Room PROJETO DINOSSAUROS. Para isso contaram com vários computadores no local da exposição, onde os outros alunos e visitantes da exposição puderam manusear o produto final do trabalho desenvolvido, além de fazerem uma apresentação prévia no palco, explicando como funcionava o software de autoria e o CD produzido por eles. Esta exposição contou com a presença de pais de alunos de todas as classes da escola, dos alunos, da equipe e da imprensa que acompanhou todos os passos desta exposição, que foi veiculada pela TV Globo. Com esta exposição os alunos demonstraram toda a sua aprendizagem com uma linguagem própria, utilizando-se de sua oralidade e gestos para descrever suas experiências e impressões sobre a realização do Projeto Dinossauros, pois foi lhe propiciadas condições de aprender coisas novas, com a colaboração da professora, dos pais e da interação com os colegas, a partir de uma situação real vivida por eles, e não por imposição de memorização de conteúdos, garantindo assim a aquisição do conhecimento de forma significativa e prazerosa.
     

    4 - Avaliação

    Entendemos que numa concepção sobre a relação de ensino e aprendizagem como a que sustenta o trabalho por Projetos, as três fases da prática docente – planejamento, ação e avaliação- não podem entender-se senão como um sistema de inter-relações e complementaridades. Para Gardner (1995), uma avaliação deveria dar informações sobre a capacidade e o potencial dos alunos, para dar-lhes um feed-back sobre suas aquisições, assim como propiciar informações para a comunidade circundante. Esta avaliação deveria ocorrer de forma natural, quase sem reflexão consciente, sem datas e horários preestabelecidos e se possível sem rotulações de resultados mensuráveis. Assim a avaliação do Projeto Dinossauros era inerente ao processo ensino-aprendizagem, portanto não se dava “periodicamente” mas, sobretudo, era o próprio processo. Para isso utilizamos um formulário de registro semanal, que já era utilizado por nós em outros momentos.

    Este formulário tem como objetivo registrar, no dia-a-dia, o desenvolvimento da turma. Com esse registro diário, a professora pode avaliar sua prática pedagógica e repensar nos procedimentos utilizados e nas mudanças, se necessário for.

    Esta avaliação proporciona a possibilidade de acompanhar o desenvolvimento dos alunos.

    A cada etapa do projeto trabalhado, observa-se o avanço dos alunos, avaliando a participação deles nas atividades, confecção de materiais, nas pesquisas, ou em outras atividades propostas.

    Para o Projeto Dinossauros, embasados no discurso de Gardner, ampliamos a visão da avaliação e utilizamos também algumas “Fichas”, afim de fazer-mos algumas sínteses do trabalho, a serem preenchidas por todos os participantes do processo: Comunidade, pais, professores e alunos.

    1. AVALIAÇÃO DA COMUNIDADE: Esta avaliação foi feita durante a exposição do projeto. A comunidade que visitava a exposiçâo era convidada a assinar um “Livro de Visitas”, onde poderiam ser colocadas, em um pequeno quadro, suas impressões sobre o trabalho apresentado.

    A título de exemplo, transcrevemos abaixo algumas das impressões:

    SEU NOME... DE ONDE VOCÊ É? O QUE VOCÊ ACHOU? Elizabeth Souza Mãe de aluno Nota 1000 Parabéns! Lucimar C. santos Convidada de aluno Muito interessante Marlon Durigan Canal 12 (TV Globo) Lindo! Tudo muito criativo e bonito

    2. AVALIAÇÃO INDIVIDUAL DO ALUNO: Esta avaliação é realizada pela professora no decorrer do projeto até o encerramento.

    NOME DO ALUNO: _______________________________________________________
    TE MA DO PROJETO:_____________________________________________________
    En volvimento do aluno no:

    3. AVALIAÇÃO DOS PAIS: Esta avaliação é realizada após a apresentaçao do projeto (exposição), quando enviamos para casa dos alunos uma ficha para ser preenchida pelos pais.

    A título de exemplo, transcrevemos abaixo alguns trechos de avaliações de pais:

    AVALIAÇÃO

    PROJETO DINOSSAUROS

    Para nós é muito importante saber a sua opinião sobre o projeto desenvolvido pelo seu filho. Assim gostaríamos que você colocasse, nesta ficha, suas impressões sobre o tema, organização, atrações, atendimento, duração do projeto, duração da exposição, recursos apresentados e suas sugestões para um próximo trabalho.

    “... Adorei todo o trabalho elaborado pela equipe da escola. O Paulo, particularmente, já gostava muito dos dinossauros. Agora com todas estas informações que têm gosta ainda mais!... Acredito que este trabalho melhorou muito o seu entrosamento com a professora e os colegas, pois o Paulo é uma criança tímida, difícil de expor seus sentimentos. E este trabalho o ajudou muito pois agora ele se expressa melhor e tem menos vergonha que antes... Gostaria de agradecer a todos por este desenvolvimento do Paulo e a minha sugestão é que sempre façam estes trabalhos, o que incentiva muito os alunos a trabalhar em grupo, integrando-se muito mais socialmente. Assim com certeza estarão muito bem preparados para o futuro... Parabéns.” (Fabiana e João Paulo -Pais do aluno Paulo Morini)

    “... Só temos a parabenizar a escola e seus professores pelo belo trabalho que tem feito com todos os projetos. Mas para nós o Projeto Dinossauros foi muito especial, pois vimos nosso filho com tanto entusiasmo e completamente envolvido cada vez que falava do assunto, o que nos deixava muito emocionados... Achamos que foi tudo muito bem elaborado. E o mais importante é que eles entenderam o que aprenderam! Foi tão bom que resultou até num CD Room!!” (Rosana Vargas, mãe do aluno Guilherme Vargas).

    4. AVALIAÇÃO DO PROJETO PELO ALUNO: Esta avaliação é feita pelo aluno. Como os alunos participantes do Projeto Dinossauros não são alfabetizados, a própria professora transcreve as impressões deles.

    A título de exemplo, transcrevemos abaixo a íntegra de uma destas avaliações:

    NOME DO ALUNO: Matheus Galdino

    Isto é constatado desde a observação dos alunos no desenvolvimento das atividades em classe, pesquisando, montando as maquetes, produzindo o Cd Room, preparando a exposição até o momento da avaliação do projeto por eles mesmos.

    Nos deparamos, ao final do Projeto Dinossauros com crianças muito mais responsáveis, que sabiam que o grau de qualidade do trabalho depende do grau de seriedade e envolvimento de todos, o que gerou um alto grau de socialização entre os alunos.

    Percebemos crianças de 05 anos, pesquisando, buscando conhecimento, questionando, criando, de uma forma autônoma e organizada.

    O rendimento escolar da turma é muito significativo. O interesse pela leitura, produção de texto e pesquisa, nos faz acreditar que investir em práticas pedagógicas que se utilizam de instrumentos como a informática, é uma das maneiras mais estimulantes de se desenvolver os conteúdos escolares.
     

    5 – Material de apoio utilizado

    02 computadores Pentium 233 MMX 01 impressora Epson 600 01 gravador de CD HP CDs clipart diversos CD Room: Illuminatus – Positivo Informática My First Encyclopedia – Knowledge Adventure Magic School Bus – Scholastic s Televisão Vídeo cassete Fitas de Vídeo: Jurassik Park, Steven Spelberg, Universal Studios Dink, e as Pedras Mágicas, Hanna Barbera Produções O Vale Encantado
     

    6 - Fotos

    Para ilustrar melhor o trabalho sugerimos a visita ao site: http://www.escolalapisdecor.com.br
     

    7 – CD ROM:

    Estaremos enviando em breve um CD ROM “Projeto Dinossauros” para uma melhor análise deste trabalho pelos senhores.
     

    8 - Bibliografia